terça-feira, 6 de agosto de 2013

COLONIZAÇÃO NO BRASIL: O PERÍODO PRÉ-COLONIAL (1500/1530)




No período de 1500-1530 Portugal tinha interesse em efetivar a colonização no Brasil, pois o Brasil não preenchia os interesses mercantilistas de aquisição de metais preciosos. O interesse português estava voltado para o comércio oriental de especiarias. Esta realidade determinou que os portugueses durante os anos de 1550 a 1530 utilizassem o Brasil como rota de abastecimento dos navios, instalando feitorias no litoral.
Durante os 30 primeiros anos Portugal limitou-se a enviar para o Brasil expedições de reconhecimento e defesa e iniciou a extração do pau-brasil, baseado numa extração predatória. A existência de tal árvore chamou a atenção dos portugueses, pois dela se extraía uma tinta vermelha utilizada para o tingimento de tecidos.

A mão de obra utilizada foi a indígena e o tipo de relação de trabalho foi compulsório, onde através do o escambo os portugueses conseguiam realizar negociações com os nativos. Em troca do trabalho, os indígenas recebiam bugigangas e quinquilharias dos portugueses. As feitorias instaladas no litoral eram depósitos que armazenavam as o pau-brasil e garantiam a ocupação inicial do território.

O mapa acima apresenta as primeiras expedições de exploração e conhecimento do litoral brasileiro pelos portugueses.


Com o passar do tempo, a ausência de portugueses na ocupação do território brasileiro incentivou outras nações a invadirem o litoral brasileiro. Os franceses aportavam em nosso território em busca de pau-brasil e estabelecendo contato com a população nativa. Nessa época, o governo português percebia que a falta de centros de colonização poderia colocar em risco a propriedade das terras conquistadas no continente americano.
Não bastando o risco de invasão, os portugueses não alcançaram o lucro esperado com a construção de uma rota marítima que os ligassem diretamente às Índias. O desgaste causado pelo longo percurso e a concorrência comercial com outros povos acabou fazendo com que o comércio com o Oriente não fosse muito atrativo. Desse modo, o governo português voltaria suas atenções para a exploração do espaço colonial brasileiro.Em 1530, a expedição de Martim Afonso de Souza foi enviada até ao Brasil para a fundação do primeiro centro colonial. Nessa viagem, mudas de cana-de-açúcar foram trazidas para o desenvolvimento da primeira empresa mercantil a ser instalada pelos portugueses. Além disso, essa mesma expedição foi acompanhada por padres jesuítas que realizaram a catequização dos indígenas.
Texto escrito por Matheus Borges


APROFUNDANDO OS ESTUDOS: QUESTÕES DE VESTIBULAR.


1. (PUC-RS) Responder à questão sobre o período pré-colonial brasileiro, com base no texto a seguir:


“… Da primeira vez que viestes aqui, vós o fizestes somente para traficar. (…) Não recusáveis tomar nossas filhas e nós nos julgávamos felizes quando elas tinham filhos. Nessa época, não faláveis em aqui vos fixar. Apenas vos contentáveis com visitar-nos uma vez por ano, permanecendo, entre nós, somente durante quatro ou cinco luas [meses]. Regressáveis então ao vosso país, levando os nossos gêneros para trocá-los com aquilo que carecíamos.”(MAESTRI, Mário. “Terra do Brasil: a conquista lusitana e o genocídio tupinambá”. São Paulo: Moderna, 1993, p.86)

O texto anterior faz alusão ao comércio que marcou o período pré-colonial brasileiro conhecido por

a) mita.

b) escambo.
c) encomienda.
d) mercantilismo
e) corvéia.



02. (UFMG) Leia o texto.



“A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em certos vocábulos difere em algumas partes; mas não de maneira que se deixem de entender. (...) Carece de três letras, convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa digna de espanto,porque assim não tem Fé, nem Lei, nem Rei, e desta maneira vivem desordenadamente (...)." (GANDAVO, Pero de Magalhães, História da Província de Santa Cruz, 1578.)



A partir do texto, pode-se afirmar que todas as alternativas expressam a relação dos portugueses com a cultura indígena,exceto:



a) A busca de compreensão da cultura indígena era uma preocupação do colonizador.
b) A desorganização social dos indígenas se refletia no idioma.
c) A diferença cultural entre nativos e colonos era atribuída à inferioridade do indígena.
d) A língua dos nativos era caracterizada pela limitação vocabular.
e) Os signos e símbolos dos nativos da costa marítima eram homogêneo

Nenhum comentário:

Postar um comentário